quinta-feira, 24 de dezembro de 2009

Obrigada, meu doce!


Tenho tanto a agradecer que nem sei por onde começo.
Vc sabe que apareceu nos 45 do segundo tempo e que fez toda a diferença. Conseguiu arrancar de mim sentimentos, pensamentos e ações que me pareciam surreais, aliás vc me provou que surreal é a realidade de uma forma mais doce. Obrigada pelas cotidianas lições de moral, altruísmo e bom gosto.
Se hoje pudesse desejar qualquer coisa sem dúvida seria tua presença nos meus dias há muito mais tempo. Me sinto tão estúpida quando penso no tempo que perdi em outras portas, enquanto a minha porta verde sempre esteve aberta me esperando. Obrigada pela constante presença, mesmo quando imagino que quero ficar sozinha. Obrigada por nunca escutar quando te mando ir embora. Obrigada por dizer "fomos feitos pra sermos um" toda vez que penso em acordar do sonho que é vc.
Todos, todos, todos os dias são perfeitos ao teu lado, meu doce. Tão perfeitos que me custa acreditar que um dia vai ser diferente.
Preciso confessar: morria de medo de gostar de vc pq sentia que assim te perderia. Mas com essa praticidade que tb me assusta vc me provou que não gostar de ti é impossível e que só irá embora se assim eu quiser. Obrigada por sempre me deixar segura: de mim, do teu amor, da felicidade que só vc proporciona.
Obrigada, meu doce! Obrigada pelos 3 meses mais incríveis da minha vida. Por ter tornado 2009 sublime e pelas promessas de um ano novo lotado de felicidade.
Te adoro... tanto tanto tanto que parecer ser mais que isso. =)


P.S.: Boas festas, passantes daqui! Que 2010 venha carregado de bons presságios!

sábado, 19 de dezembro de 2009

-E pra que serve o desgosto?

-É como se a vida dissesse: acorda que eu tô passando.

-Hum... Não teria uma forma menos dolorida de dizer?

-Teria.

-Eu quero essa.

-Não pode. Você não escutaria se fosse menos dolorido. A gente só ouve o que dói.

quinta-feira, 3 de dezembro de 2009


-Ela é tão livre que um dia será presa.
- Presa por quê?
- Por excesso de liberdade.
- Mas essa liberdade é inocente?
- É. Até mesmo ingênua.
- Então por que a prisão?
- Porque a liberdade ofende.




[Clarice]

terça-feira, 1 de dezembro de 2009

Dia Mundial de Combate à Aids


"Viver com a AIDS é possível. Com o preconceito não."

Esse é o slogan da campanha criada pelo Ministério da Saúde e veiculada em todos os meios midiáticos, em especial, nesse 1º de dezembro.
A campanha, os portadores de HIV e todo mundo que comprou essa briga tem toda minha admiração e respeito. AIDS é sim uma pandemina e esse tipo de divulgação e cuidado é mesmo muito importante. Mas não pude deixar de perceber o quanto a campanha subestima um povo tão "bem" adaptado às maiores agressões sociais que um país pode sofrer.
O povo brasileiro e seus agregados vivem, sobrevivem e convivem todos os dias com absurdos tão ou mais graves que preconceito.
Nos adaptamos e assimilamos a convivência com tantos absurdos, que ignorar pensamentos mesquinhos e tacanhos se tornou fichinha.
Convivemos diariamente com a arte de sair e voltar pra casa vivos; com a incerteza do emprego no dia seguinte; com a corrupção descarada; com drogas bem mais próximas de nossos filhos que nós mesmos. Vivemos e dividimos espaço com a miséria, a falta de compaixão, o desrespeito aos direitos mais básicos do ser humano.
Diante de tantas agressões ser discriminado pela cor, por desejos sexuais ou por portar um vírus se tornou apenas mais uma provação, mais um componente da rotina de uma gente que pode até não ter dedo muito bom pra escolher seus governantes tão pouco consciência pra começar a mudar sua realidade, mas sabe como ninguém sobreviver à batalha que é ser brasileiro.

Tá, sei que usei mais falácias do que se é permitido em um texto. Mas, sinceramente, não me importo nem um pouco. =)

quinta-feira, 26 de novembro de 2009

Quero um Wilson pra chamar de meu.¬¬

Nunca gostei muito de gente, mas
hoje tive certeza que a recíproca é totalmente verdadeira.
Eu não entendo o nível de stress e falta de educação que assola o povo desse país. Tudo bem que acordar cego, pegar ônibus lotado, trabalhar 8 horas e ganhar uma miséria deve ser bem ruim, mas que culpa tenho eu e as outras pessoas que são inevitavelmente obrigadas a conviver com essas vítimas do capitalismo? hã?
Tô aguardando uma catastrofe natural que dizime a vida humana da Terra e me deixe em um pedacinho de nada no meio do mar com um Wilson como única fonte de afeto.
Cansei de seres humanos. Pronto, falei.

segunda-feira, 16 de novembro de 2009

Beeeem melhor que Super Mario...




¨Petrus quando tem insônia passa o tempo procurando besteiras no youtube e, como sabe que não durmo quase nunca, se acha no direito de "alegrar" minhas noites com esse tipo de tosquice.
¨Sei que o Michael não combina muito bem com missões do tipo "Salve a princesa", mas não custa sonhar.^^
¨Preciso deixar registrado aqui meu trauma de Yoshi. Bicho mais bizarro que já vi. o.O

sexta-feira, 13 de novembro de 2009

Eu leio Personare e daí???

Eu amo esse negócio de astrologia. Mesmo quando ela contradiz minha natureza.
Jogando o personare hoje vejam o que me saiu:


Embora não pareça, isso é um 2 de paus, minha gente. E segundo o site ele quer dizer exatamente o que parece: que devo ficar parada igualzinho a carta. o.O
Diz que devo esperar pois o momento só requer que eu faça isso.
Simples minha vida, não?!
Tudo o que tenho que fazer é exercitar a estática pacientemente e tudo caíra do céu. Amazing!!!
O tarot diz que qualquer atitude [isso mesmo, qualquer atitude, seja ela em que sentido for] poderá me trazer irritação e atrito com as pessoas à minha volta.
E como ele me conhece muito bem prevê: "Ainda que você se irrite com a perspectiva de não agir quando diante do que lhe parece incorreto, você entenderá que tudo – tudo! – tem seu momento certo. Procure investigar, no que tange às coisas que lhe incomodam, qual a origem delas e não caia na tentação de apenas se fazer de vítima."

Vítima???? Eu???? Imagina!!!

Concluindo ele me aconselha:
"Permaneça na tranqüilidade meditativa. É preciso saber o momento certo para resolver conflitos."

Tô aqui esperando amanhecer pra ligar pro meu orientador e mostrar esse post. Ele deve entender que ler 350 páginas em um fim de semana é uma atitude absolutamente irritável, além de gerar um sério conflito na minha anémica vida social.

Beijinhos, passantes daqui! Que o final de semana de vcs seja mil vezes mais animado que o meu! =)

segunda-feira, 9 de novembro de 2009

I'm back!!!

E ninguém tem noção de quão delicioso foi passar esse tempo longe da realidade. Os filmes foram incríveis, o consumismo paulista me enfeitiçou e, sinceramente dá uma desilusão voltar, but...
Como adicional de viagem assistimos a avan premiere de "Coco avant Chanel",lembrando que aqui provavelmente só será exibido final do mês [moro ou não moro na curva do fim do mundo?]. A história da marca é mais incrível que a da estilista, embora o mundo discorde disso e a Audrey tava perfeita no papel. Quero ver de novo.*-*
À parte as esperadas maravilhas sobrou tempo para considerar algumas decisões e reviver umas faltas que não me fazem bem. Só eu mesma pra ter tempo pra isso com tanta coisa boa pra fazer.¬¬
Tb sobrou tempo pra infindáveis conflitos existenciais com o Ya que se dissiparam assim que entramos no avião pra voltar. Gente doida é assim: aproveita que tá longe de casa, um dependendo do outro, pra colocar pingos [inexistentes] nos is. Por isso a gente se completa: qualquer outro teria me matado e abandonado o corpo em pleno Ibirapuera.=p

Bom, minha gente a viagem resumidamente foi isso. Tô com preguiça de contar detalhes pq tô fazendo isso verbalmente vezes seguidas desde que cheguei. O fato que não pode deixar de ser comentado é que iremos voltar em março pro show de Coldplay. 5 meses passem voando, please!!!! \o/


P.S. Obrigada pelos selinhos, guria doce!!! Logo logo posto tudo aqui.=)

sexta-feira, 30 de outubro de 2009

¨Kat News¨


Ando sumida daqui, mas os motivos justificam a ausência.
Tenho passado os últimos dias levando meu mestrado à sério [parece mentira. kkkk] e as poucas vezes que fico on é pra me distrair com bobagens orkutianas e dicas de como limpar manchas de espelhos.^^
Ganhei do Ya o melhor presente do mundo: a oportunidade de prestigiar a 33ª Mostra Internacional de Cinema de SP. \o/ Viajamos amanhã à noite e eu mal posso conter as borboletas do meu estômago.^^
O evento começou de fato no dia 23 e se encerra no próximo dia 5.
Sei que com uma semana de atraso perdi de ver muitas películas fabulosas, mas infelizmente foi o que deu pra conseguir com nosso horário maluco. As perdas irreparáveis serão amenizadas com a apreciação de um Almódovar que dificilmente será alcançado pelo circuíto comercial de cinema. Quando meu ex-chefe me mandou a sinopse de "Los Abrazos Rotos" por email enloqueci com a promessa de um filme totalmente diferente do conhecido estilo do diretor que, diga-se de passagem, já é sublime.Falando bem superficialmente do filme: trata-se de um drama com requintes de suspense 'Hitchcockianos' junatmente com a sensualidade e beleza dignos de "Y Tu Mama También".
A viagem valeria a pena só pelo fato de ver filmes de uma qualidade singular. O que a torna fenomenal é poder celebrar o Beltane [Dia das Bruxas para os leigos e Samhain para os bruxos do H. Norte] em pleno Ibirapuera. Séculos que não comemoro um Sabbath como se deve e minha alma está mesmo precisando lembrar sua origem para tornar mais nítidos seus objetivos.
Isso tudo já faria da viagem, além de fenomenal, inesquecível. Mas acreditem tem como tudo ficar ainda mais perfeito com o Ya por perto. Nem posso falar muito pq divulgar felicidade quebra a magia. Então só desejo que todo mundo um dia consiga se sentir tão bem quanto me sinto hoje.

Até a volta, passantes daqui.

Blessed Be!!!




quarta-feira, 14 de outubro de 2009

Who's Gonna Save My Soul?

Eu sou completamente apaixonada por Gnarls Barkley desde os tempos de um falecido aê. Foi uma dessas raridades que os ex deixam na vida da gente e que sempre estarão ligadas ao nome deles.
Eis que hoje estava despretenciosamente vendo mtv e me deparo com o clipe mais fofo do mundo. Chorei de dó do coraçãozinho.=/
[se eu tivesse tpm diria que estou em um estágio crítico]


Pollyana-way-of-life


Pollyana e seu jogo do contente adentraram minha infância pelas mãos da minha avó. E como tudo que vem de avó a gente acha que é bom tentei utilizar a técnica do jogo em diversas situações o que me levou à um trauma que psicanalise nenhuma deu fim. Eu definitivamente não sei ver o lado positivo onde não tem lado positivo nenhum.

"Amputei as duas pernas, mas ainda tenho braços!"
"Não consigo entrar na calça 38, mas a 40 veste bem."
"Fui demitida, mas ao menos vou ter um tempo livre para me aperfeiçoar"
"Não podemos ficar juntos agora, mas o amor vai vencer as barreiras."
"Não vai dá pra conhecer a Finlândia, mas posso passar um fim de semana em Cochichola"

Viver do que sobra da parte boa das coisas é imbecil ou tem algo de errado comigo? o.O
Desde que me lembro de ser eu nunca fui de me conformar com pouco ou com menos do que eu mereço e, talvez por isso, desenvolvi uma aversão imensa a pessoas que fazem parte da ala dos conformistas. Mas como Murphy me ama e os autores de auto ajuda tem seguidores doentes por toda parte... vez por outra aparece uma dessas almas deprimentes no meu caminho. Só pra me deixar constrangida, só pra me deixar sem palavras, só pra me fazer subir e descer de ELEVADOR [morro de medo] doze andares em uma fulga digna de Prison Break.
Sabe, eu sou péssima em desanimar as pessoas, em dar conselhos, em falar a verdade sem floreios. Esse é sem dúvidas meu pior defeito e é justamente o que atrai as Pollyanas da vida. Conversando sobre isso com o Petrus [que tb tem uma certa aversão a gente assim] conclui que os adeptos desse estilo de vida veem em pessoas como eu um foco de alimento para as suas fantasias. Parasitam minha incapacidade de ser totalmente sincera e filtram das minhas parcas tentativas de realismo explicações para suas ilusões. Agora me diz: o que eu faço?
Fugir doze andares nem sempre é possível, falar a verdade é uma ótima teoria e uma péssima prática [sim, eu já tentei], me afastar tb não é opção [a maioria dessas pessoas são legais nos intervalos do otimismo sem causa]. Sendo assim o que me resta além desse nó de indignação na garganta?

Acho que todo mundo deveria vir com botõezinhos de play, pause, chanel, timer, last e, principalmente, mute. Facilitaria tanto a vida...

sexta-feira, 9 de outubro de 2009

vrai faux bonheur!!!


Quando se é imensamente feliz por um tempo, por mais ínfimo que seja, as bases dessa felicidade não importam. Não interessa em que ela foi pautada, o que veio depois, de que subterfúgios nos utilizamos para alcançá-la. Ao lembrarmos dela não enxergamos nada além do bem que nos fez e da falta doida que nos faz.
Estar feliz por ocasião, pq se precisa disso pra seguir adiante ou pq a sociedade não sabe lidar com pessoas tristes faz perceber que felicidades insanas e sem propósito são inigualáveis. Sabe aqueles momentos bons que trazem em seguida um sofrimento descomunal? São os melhores e por isso doem tanto. Costumamos ligá-los à pessoas, mas nem sempre são delas que eles são feitos. Parando pra olhar de longe, não se sente falta de uma pessoa que nos fez feliz imensamente, insanamente, mas do que éramos nesses momentos em que deixamos a máscara da lucidez de lado e nos jogamos no que sabíamos que não iria durar, no que tínhamos certeza que iria doer depois.
Hoje sinto muita falta de ser assim, de me sentir assim. E nem é por nada, nem é por ninguém. É só uma dessas saudades bestas que vem quando se assiste um seriado bobo de tv que nos faz lembrar que por alguns meses, algumas horas, minutos que sejam, fomos nós mesmos ao ponto de sermos o que buscamos a vida inteira: felizes.
Em dias assim nem chocolates em formato de coração suprem a ausência de um "eu" menos condizente com o que o mundo espera. E da uma vontade de encontrá-lo novamente, talvez em uma sessão de cinema, na livraria da esquina ou na lojinha natureba da rua de baixo. E que quando isso acontecer eu esteja vestindo preto, pq dizem que preto é a cor da permanência.

terça-feira, 6 de outubro de 2009

Meme *-*

Dias corridos na minha vida atualmente e, por causa disso, tenho tido bem pouco tempo pra ficar de bobeira pela internet. Meu orkut criou teia de aranha e já até esqueci a senha do msn.
No entanto, nos parcos momentos de ócio que me sobram [e quando tenho vontade de gastá-los com besteirinhas] corro pra postar no Meme. Virou um vício, um tipo de cafeína que anima meus dias atribulados.
Hummm, você não sabe o que é Meme?


Meme é um site de relacionamento destinado a compartilhar imagens, vídeos e informações criado pelo Yahoo. Bem semelhante ao twitter, inclusive na premissa de seguir e seguidores, seu diferencial está em um layout simples, enxuto e inteirinho em português; além de uma regra básica: os usuários devem repostar o que de mais legal encontrar na página dos outros usuários. Os posts mais repostados aparecem na categoria "Populares", que é atualizada a cada 48 horas. E eu já estive lá. \o/

Então, conheci o Meme enquanto lia as notícias no YahooNews e corri pra ver do que se tratava. Me apaixonei! O site é super fofinho, divertido e definitivamente viciante. À princípio só participava dele quem recebia um convite de algum memer [como se chama quem usa o Meme] e eu tive que solicitar um ao próprio Yahoo. Demorou mas veio e logo adentrei num mundinho virtual cheio de novidades que o orkut perdeu faz tempo e o twitter jamais teve.
Como o orkut, agora pra participar do Meme não é necessário mais o tal convite [isso me faz temer pela qualidade dos posts, but...]. Qualquer um pode ir lá e se increver. E ficarei imensamente grata se quem fizer isso também me seguir.^^
Seguem os links:

domingo, 4 de outubro de 2009

Asteriscos Randômicos [II]

*Fim de semana longo nem sempre que dizer fim de semana feliz.*
*Hoje me deu vontade de ter um balão e não ter medo de altura.*
*Queria sobrevoar o Triângulo das Bermudas.*
*Quando se quer uma coisa por pura birra se deve correr atrás dela?*
*Acho falta de criatividade Copa do Mundo e Olimpíadas no Brasil, ainda mais na mesma década.*
*Tô com um tédio infernal e nada seria capaz de me animar hoje, com exceção do vôou de balão sobre o Triângulo das Bermudas.*
*Confesso que tenho umas quedas por programas masculinos, mas o Ya tá tirando minha paciência vendo o 3° jogo de futebol do dia.¬¬*
*Uma dúvida me corroe há dias: pq pipoca não tem antena?*
*O último asterisco é uma dúvida de alguém sóbrio, antes que pareça o contrário.*

quinta-feira, 1 de outubro de 2009

Dia Internacional da Música!!!

Proposto e celebrado a primeira vez em 1975 pelo violinuista Yehudi Menuhin objetiva a promoção da arte musical em todas as camadas sociais; a aplicação dos ideais da UNESCO de paz e amizade entre os povos; a evolução das culturas, a partilha de experiências e a apreciação mútua dos diversos valores estéticos.
Em comemoração á data a MTV Brasil realiza hoje o VMB, maior premiação musical do país.
Nem acredito que vou ver o show do Franz Ferdinand e Móveis Coloniais de Acajú.*-*
Ahhhhhh falando em Móveis Coloniais de Acajú, a banda mais incrível do mundo está concorrendo nas categorias: melhor show e rock alternativo. Cansei meus dedinhos de votar e de pedir voto, agora só resta cruzá-los e torcer.
Pra quem não conhece Móveis é uma dessas bandas de rock irreverente que surgem do nada , sem grandes pretensões [além das óbvias] e conquista multidões com a divulgação do seu trabalho via internet e eventos realizados pela prórpria banda.
Eis um pouquinho do trabalho dos singulares garotos de Brasília:

quarta-feira, 30 de setembro de 2009


-Pq fala tão pouco de vc?_ perguntou ele.


-É que tenho vergonha de ser emo.



=)

terça-feira, 29 de setembro de 2009

"Às vezes a gente vai-se fechando dentro da própria cabeça, e tudo começa a parecer muito mais difícil do que realmente é. Eu acho que a gente não deve perder a curiosidade pelas coisas: há muitos lugares para serem vistos, muitas pessoas para serem conhecidas"

[Caio F.]

Santa Imbecilidade!

Após diversas reclamações e um processo aberto no Conar, foi retirado do ar o comercial de lançamento das sandálias Havaianas Fit. Segundo explicações da marca várias pessoas se ofenderam com o aberto diálogo entre avó e neta sobre homens e sexo.
Caraca, nunca imaginei que em meio a tantas evoluções científicas, tecnólogicas, sociais ainda fosse ver algo tão absurdo. Como alguém se incomoda com uma besteira dessas? Como diante de tanta corrupção, violência, desigualdades sociais as pessoas se ofendem com uma piada de comercial de tv?
Triste país mentalmente subdesenvolvido.

Olha a causa de traumas irreparáveis à família brasileira:





Morro e não vejo tudo!¬¬
Joel: Wait!
Clementine: What?
Joel: I don’t know.
Clementine: What do you want, Joel?
Joel: Just wait. Just wait. I don’t know. I just want you to wait for… just a while.
Clementine: Okay.
Joel: Really?
Clementine: I’m not a concept, Joel. I’m just a fucked up girl who’s looking for my own peace of mind. I’m not perfect.
Joel: I can’t see anything that I don’t like about you.
Clementine: But you will.
Joel: Right now I can’t.
Clementine: You know, you will think things and I’ll get bored with you and feel trapped because that’s what happens with me.
Joel: Okay.
Clementine: Okay.

[Eternal Sunshine of the Spotless Mind]

sexta-feira, 25 de setembro de 2009

Meu amor geek voltou! *-*


Essa semana estreou a 3ª temp de The Big Bang Theory.
Agora posso me deliciar com o Sheldon ás segundas...

... e exercitar minha atração pelos ogros com o Jensen às quintas.^^



Sabe quando se vê alguém super importante na vida da gente insistindo em algo que deixa claro que não terminará bem?
Sabe quando diante da situação vivida por outra pessoa você parece ter todas as respostas certas e estranhamente todas parecerem incoerentes?
Sabe quando tu se dá conta de que se a situação fosse contigo você agiria da mesma forma incansavelmente idiota e ainda assim se sentir impulsionada a aconselhar o contrário?

Pois é... por isso detesto conselhos. Sou pressionada a ajudar alguém num caminho definitivo [ou não] e não tenho sequer uma resposta sensata. Não tenho sequer uma insensata.
A parte ruim de não ter problemas existenciais é não saber lidar com o dos outros e ainda assim ficar triste. Vontade de dizer:

-Toma absolut com redbull que passa. =)

Monde ne comprend pas l'amour!




terça-feira, 22 de setembro de 2009

Me dê uma ilusão de presente.


Quando a realidade parece demasiadamente dura, cansativa e estressante nada como um pote cheio de ilusões pra alegrar a vida.
À princípio são só algumas doses que nos ajudam a escapar das lutas diárias e tornar doces os intervalos entre um problema e outro. Mas ilusões não tem defeitos, nem falhas monótonas. Ilusões são tão perfeitas que nem parecem ilusões. São tipo uma realidade sem amargura e por isso nos vicia como nenhuma outra droga faz. Ilusões riem de nossas angústias, tornam minúsculos nossos dilemas e desaparecem com tudo o que nos causa dor. São incríveis e oportunas, tão lúdicas que saltam na nossa vida como numa cama elástica e jogam pro alto tudo o que não podemos controlar. Sua única e gigantesca fissura é o fato de jamais conseguirem deixar de ser apenas ilusões.

Não importa que cor, sabor ou cheiro tenham, nunca passaram dos pontos limitrofes da nossa fantasia. Mesmo que a gente lute, se debata e doe a última gota de sangue para fazê-la permanecer, ela se vai. Seja pq nossa vida passa a cobrar mais de nossa lucidez, seja pq fantasia tem mesmo tempo de validade, não interessa. Uma hora ou outra a gente acorda e vê quanto tempo e esforços foram gastos com algo que desde o princípio nunca ofereceu um depois. Então vem a dor... como se uma parte da gente se perdesse e fosse difícil ir em frente sem ela. Seguindo a dor vem a vergonha, frustrante sensação de ter se deixado perder em algo que explicitava sua efemeridade. Aí a gente ajoelha e jura por todos os milagres conhecidos nunca mais se afastar do que se conhece, da nossa vida tão conturbada e ao mesmo tempo tão palpável. A gente levanta os ombros e segue como se nada mais fosse capaz de transpor nossas armaduras. Tudo está bem.

Mas ilusões não aceitam descartes tão facilmente. Nós não aceitamos tão bem uma vida lotada de realidades. E dessa junção de "quero ficar" e "quero deixar que você fique" surge a amargura do não poder. Pq ilusões só são permitidas quando não temos a consciência de estar boicotando o nosso real, quando achamos que o fantástico faz parte dos nossos dias , quando não sabemos que as criamos como ponto de fuga das chatices que lotam nossa existência. Manter ilusões depois que as vemos como são torna-se estúpido e sem sentido, embora nos livrarmos delas pareça por demais doloroso.
Em meio ao dilema realidadeXsonho aparece, sempre aparece uma luz com promessas de mudar tudo, de tornar doce todas as horas que a ilusão deixou vazias. E como tudo que não dói é confortável, nos deixamos levar por essa luz nova que nos afasta da angústia real de ter mergulhado em uma ilusão. Tudo está como sempre sonhamos e a alegria voltou a povoar nossa vida. Não lembramos mais de ter deixado ilusão alguma entrar e a nova luz parece tão nítida que automaticamente acoplamos suas sensações a nossa realidade. Estamos felizes para sempre. Tudo está bem.

Num dia feliz como qualquer outro dia feliz passamos a enxergar semelhanças entre a luz que mudou nossa vida e a ilusão que nos pareceu tão estúpida. Ambas parecem ter a mesma intensidade e pouca durabilidade. Ambas parecem vir do nosso potinho interno de fantasias. E como num dejavú lunático volta a dor e cobranças da nossa realidade, constatamos que a luz não passa de mais um paliativo, mais uma fuga das nossas escolhas e caminhos verdadeiros. E vem as incertezas do "fica" ou "deixa ir", e vem a tão conhecida sensação de burrice crônica, e vem dor e mais dor. E quando achamos que tudo está perdido e que somos vítimas das maiores injustiças do mundo... eis que surge um fenômeno de brilho diferente com promessas de mudar tudo, de colorir nossos dias com toda a felicidade que temos direito. E tudo fica perfeito novamente. Tudo está bem.



*Seres humanos imbecis que sempre buscam diferenciais como preenchimento do vazio obscuro de suas inúteis existências.

segunda-feira, 21 de setembro de 2009

Ostara






21/09 H. Sul
O sabbat mais perfeitinho de todos. O meu preferido. Marca o Equinócio de Primavera e celebra o nascimento da estação das flores e o redespertar da vida na Terra. É a primeira vez no ano em que dia e noite são iguais.
Para os pagãos é tempo de equilíbrio e reflexão, de uma profunda introspecção. Tempo de se abrir aos bons atos e sentimentos.
Em antigos ritos ovos [símbolos de vertilidade e reprodução] eram colocados no altar como forma de agradecimento pelo novo tempo e ao final do ritual eram enterrados levando os desejos e agradecimentos dos participantes.
Hoje em dia além de ovos de chocolate pintados [ovos de chocolates não são fetos] também usamos flores e cores que lembram a deusa Oster e a própria primavera, como estas que colorem o texto. Perfumamos o ambiente com incensos de violeta africana e entoamos cânticos de boas vindas à nova época. Queria que todo mundo consegui sentir o perfume que tá no ar por aqui.^^







Blessed Ostara!


"Quando danço com a Vida
danço meu próprio ritmo
mantendo o meu compasso
Minhas marés anímicas
estão alinhadas e fluem
com a minha pulsação
minha expressão única
Reverenciando a mim mesma
eu reverencio tudo
Quando você dança
com a sinfonia da Vida
qual é seu ritmo?
É rápido ou lento
lépido ou litúrgico
repetitivo ou volúvel?
Você deixa o ritmo levá-la(o)
ou abatê-la(o)
acalmá-la(o)
encorajá-la(o)
ou perturbá--la(o)?
Como é seu ritmo?"


sábado, 19 de setembro de 2009

Dia Mundial Sem Carro



No próximo dia 22 (terça-feira) algumas cidades do país farão parte de um manifesto que é muito comum em várias cidades européias desde o final do século passado.
O Dia Mundial Sem Carro consiste na adesão dos habitantes de um local ao uso de transportes alternativos e/ou coletivos por 24 horas. O objetivo é conscientizar a população dos malefícios que o uso abusivo de automóveis causa ao meio ambiente e proporcionar uma nova visão de cidade menos poluída, menos cogestionada, mais fácil de se viver. Óbvio que ninguém busca mudar o mundo com um só dia de cidade sustentável, mas ao menos se pode ter uma idéia de adaptação a uma vida mais saudável, a um ambiente mais suportável.
Decidi que vou aderir a causa, ainda que eu seja a única pessoa nesse fim de mundo a fazer isso. Só falta descobrir como vou fazer, visto que não sou muito fã de bicicleta, nem sei como se pega ônibus por aqui e metrô é um sonho bem distante desse lugar.
Ahhhh se locomover de táxi é válido, mas o legal menos é procurar o meio menos poluente possível.




terça-feira, 15 de setembro de 2009

Salve, Caio F.!

*

Na minha memória - tão congestionada - e no meu coração -
tão cheio de marcas e poços - você ocupa um dos lugares
mais bonitos.

*

Assim:olha eu sei que o barco tá furado e sei que você também
sabe, mas queria te dizer pra não parar de remar, porque te ver
remando me dá vontade de não parar de remar também.

*

Os dragões não querem ser aceitos. Eles fogem do paraíso,
esse paraíso que nós, as pessoas banais, inventamos - como eu inventava
uma beleza de artifícios para esperá-lo e prendê-lo para sempre junto a mim.

*

Te vejo perdendo-se todos os dias entre essas coisas vivas onde não estou.
Tenho medo de, dia após dia, cada vez mais não estar no que você vê.
E tanto tempo terá passado, depois, que tudo se tornará cotidiano e a minha ausência não terá nenhuma importância. Serei apenas memória, alívio, enquanto agora sou uma planta carnívora exigindo a cada dia uma gota de sangue para manter-se viva.
Você rasga devagar seu pulso com as unhas para que eu possa beber.
Mas um dia será demasiado esforço, excessiva dor, e você esquecerá como
se esquece um compromisso sem muita importância.

*

De onde vem essa iluminação que chamam de amor, e logo depois se contorce,
se enleia, se turva toda e ofusca e apaga e acende feito um fio de contato defeituoso, sem nunca voltar àquela primeira iluminação?














61º Aniversário de Caio Fernando de Abreu



segunda-feira, 14 de setembro de 2009

Pra que servem os amigos?

Na volta de Jampa fomos parados em uma barreira da Polícia Rodoviária. E sabe como é fim de semana, né? O Caio vinha guiando e tinha bebido um pouquinho antes da gente pegar a estrada. [foi pouquinho mesmo, o equivalente a uma dose de Cuervo black] O policial se aproximou e de cara sentiu cheiro de bebida no carro, acho que mais vindo de todo mundo que do próprio Caio.
Depois do bafômetro, da tensão, dos chiliques , não teve: jeito o Caio tava preso. Nunca vi aquela expressão no rosto de ninguém. Era uma mistura de "putz que eu fiz da minha vida?" com "se me safar dessa prometo nunca mais..."
Eu já me via nos jornais, já escutava a voz fria do meu pai me lembrando das maiores atrocidades que bebida e volante provocam, da vida de quantas pessoas coloquei em risco e blá blá blá.

*parêntes no texto*
Não tô ironizando a situação ou as vidas perdidas em acidentes imbecis causados pelo álcool. Tão pouco sou contra a Lei Seca, até reconheço os benefícios que ela trouxe. Mas eu não estava dirigindo, tão pouco tinha bebido no dia. E se eu tivesse percebido algo de incomum no comportamento do Caio teria feito o possível pra que não fosse ele a guiar.
*encerra parêntese*

Levados ao posto do acostamento e ainda implorando pro policial nos liberar escuto uma voz familiar chamando meu nome. À princípio não reconheci e nem sei dizer o misto de vergonha e alegria que senti ao ver o George na minha frente, de farda, cabelo arrumadinho, cheiro de creme de barbear, nada lembrando o meu ex vizinho louco e companheiro das noites insípidas no Recife Antigo.

*flash back*
Morei no mesmo prédio que o George logo que mudei pra Recife, nos conhecemos e por um longo tempo ele foi minha referência de perfeição masculina: lindo, educado, inteligente, divertido, companheiro, louco... O tipo de cara que a gente se diverte horrores e dá pra apresentar à famíla. Quando terminei a facul me mudei, o tempo se encarregou de nos afastar e nunca mais soube dele.
*/flash back*

Agora ele tava ali na minha frente, de farda [sim, esse é um detalhe importante] e dono do destino do Caio. Após os cumprimentos iniciais, bem formais diga-se de passagem, e do outro policial explicar o pq da gente tá ali vieram os sermões sem fim, as estatísticas dos últimos 10 anos e os incontáveis folhetos sobre educação no trânsito. O Caio continuava a implorar e eu nem sabia onde colocar minha cara de tanta vergonha.
Então veio a redenção: "Dessa vez vcs serão liberados, mas outra pessoa vai ter que dirigir."
Agora a cara do Caio dizia mais ou menos "Deus existe, usa farda e um creme de barbear decente".
Ele nos acompanhou até o carro junto com o outro policial. O Ramon assumiu o volante, trocamos telefones discretamente, o Caio continuava usando agradecimentos em todas as línguas conhecidas e eu nem sabia direito o que sentia. Seguimos viagem e logo que cheguei liguei pra agradecer.
O anjo da guarda do Caio merece férias e o meu um altar com flores e mel por ter proporcionado o reencontro.

Apesar do contratempo, e talvez exatamente por causa dele, o fim de semana foi perfeito. Minhas pernas doem, tô sem voz alguma, a dieta foi pro espaço, minhas costas ardem... mas Jampa é o céu em solo. E o show de Chico Corrêa e Eletronic Band na praia do Jacaré foi um misto de magia e ternura.

Olha que música mais fofa [e que me fez chorar quando não devia.¬¬]:




sexta-feira, 11 de setembro de 2009

Asteriscos Randômicos

*fim de novela mais lindo. chorei baldes. /alienada *
*conheci uma senhora no jardim da facul hoje que me fez finalmente enxergar que todo mundo tem um fardo a carregar. [isso merece um post à parte]
*conversar com as pessoas faz bem de vez enquando, mas sem dúvida plantas são mais compreensivas*
*ontem começou a 5ª temp de supernatural e ainda não tive tempo de ver.=/*
*hoje é um dia de saudades incompreensíveis.*
*e fazem 8 anos que o Bin derrubou as torres gêmeas.*
*posso beber a isso?*
*devo ser a única pessoa do mundo a ficar depressiva com a proximidade de um fim de semana na praia. aff*
*pq ser quente se o frio é tão bom?*

Bom fim de semana aos passantes daqui.^^

quarta-feira, 9 de setembro de 2009

09.09.09

Dia cabalístico rodeado de misticidade.
Algumas pessoas especularam durante a semana que o mundo acabaria hoje. Como já é de noite e nenhum meteoro caiu, creio que infelizmente não será dessa vez.
O mistério em torno da data tem explicação. O número 9 é mesmo bem incomum: é o único que quando multiplicado ou adicionado a qualquer outro sempre retorna a si; também é o número de ordens de anjos e demônios; rege a lei do karma; na numerologia simboliza o carisma, a filantropia, a compaixão e milhares de outras formas de amor.
A combinação e iversão de três números 9 é bastante usada pelo cristianismo como o símbolo da besta. [talvez por isso a relação com o fim do mundo] Também está relacionada a Crowley, o mago mais sinistro e lunático que o mundo já conheceu.
Na minha crença [para os que seguem o calendário gregoriano] o dia de hoje põe fim a um ciclo. Quebra uma vertigem mística que malifica a alma. É o período propício pra desejar o que só a Grande Mãe pode ofertar, tipo aquilo que a gente quer muito e nem sabe. Não é um período pra desejos mundanos e egoístas.


Mudando o rumo da conversa e falando de um assunto nerd e fútil.... devido ao apego do John Lennon pelo número 9 hoje tá sendo lançada uma coletânea remasterizada dos garotos de Liverpool e o principal: o game RockBand Beattles.*-*
Ninguém tem noção do quanto espero por isso.
A bem da verdade prefiro o Guitar Hero pq é possível jogar sozinha [anti social até com jogo. kkkkkkkk], mas como quem não tem cão caça com gato o jeito é alugar meus amigos pra ser feliz.^^
Como os outros jogos do gênero o jogador vai evoluindo e mudando de cenário conforme as músicas são cantadas. Mas como Beattles são Beattles os cenários são réplicas dos lugares que a banda percorreu. Não é tudo que uma beattlemaníaca alucinada poderia querer?=D
A falha mor do game é a ausência bem sentida de clássicos como "Help" entre outros. Não pensei que os criadores seriam tão omissos.=/
Babem com o trailler do jogo.




terça-feira, 8 de setembro de 2009

Minha florzinha mais fofa de todas as flores me deu esses mimos de presente:

Tem umas regras e tals...

- exibir os selos
- linkar o blog do qual recebemos = Cuidando do Meu Jardim
- Partilhar 5 coisas que gostamos de fazer.


Então tá. Gosto de:
-Ficar muito, muito tempo sem fazer absolutamente nada.
-Ver filmes, séries e documentários.
-Jogar. De RPG à UNO.
-Biblioteca + salão de beleza. Deveria existir um espaço ocupado pelos dois.
-Bofe+vinho+morangos+Marvin Gale = pecado. =p

A vontade é não passar os selos pra ninguém, flor. kkkkkkkkkkkkkkkkkk
Mas já que é preciso indico:
-Ju Caru
-Just Lia
-Temporada das Flores
-Sortilégios de Inverno
-Mar-íntimo.

segunda-feira, 7 de setembro de 2009

Realmente as coisas ficam mais simples quando dissipamos sombras.
Meu fim de semana serviu basicamente pra isso: acertar contas, desfazer mal entendidos, fechar ciclos e finalmente deixar as pessoas seguirem seus devidos caminhos sem minha obsecada interferência.
É difícil, bem difícil magoar propositalmente alguém que se gosta, mesmo sabendo que é o melhor a se fazer no momento. Ao menos o melhor pra mim. O mais fácil pra mim. Que na verdade é o que importa.^^

Hummm no intervalo de meus momentos insanos show do Buena Vista Social Club no sábado em Olinda e jazz + tequila no domingo in Tarso (saudades de dizer isso).

Trecho do show mais esperado da vida.*-*

domingo, 6 de setembro de 2009

6/9 Dia do Sexo!

Sem grandes divagações a respeito.

Aproveitem, pessoas!

sexta-feira, 4 de setembro de 2009

Lua que muda tudo!


Quando o universo diz que tudo está bem a gente deve acreditar.

terça-feira, 1 de setembro de 2009

domingo, 30 de agosto de 2009

quinta-feira, 27 de agosto de 2009

quarta-feira, 26 de agosto de 2009

'Diálogos etílicos com o diabinho do lado esquerdo.'

-Sabe, Petrus... a falta dele é como uma crise de labirintite:não sinto sempre com a mesma intensidade, mas os sintomas nunca vão embora completamente. E quando tomo café e a madrugada chega tenho os primeiros sinais de uma tontura[tortura] que me conduzirá a noite inteira.
-Pára de tomar café! _ ele disse.
-E as madrugadas?
-Encontre quem as preencha sem fazer grandes perguntas ou exigir de ti sentimentos que nem te pertencem. Ah Kat egoismo foi feito pra ninar nossa alma. Pensar sempre nos outros é coisa de voluntário da cruz vermelha.

[tão amoral que me fez rir]




segunda-feira, 24 de agosto de 2009


Depois de um fim de semana cheio de pequenas alegrias, cheio de todas as coisas desejadas, cheio de todos os cheiros, e sensações, e toques, e sabores... parece tão injusto exigir mais do mundo.

sexta-feira, 21 de agosto de 2009

Toca Raull!!!


Bombardeada pela mídia desde cedo graças aos 20 anos da morte do Rauzito, seria inevitável escrever sobre.
Quem me conhece suficientemente bem tá cansado de me escutar falar mal de suas canções toscas e seu visual bizarro. Também tô cansada de seus admiradores tentarem me convencer de sua genialidade. Mas como morto é morto e artista é artista hoje vou pagar pau pro Raul.
Venhamos e convenhamos que mesmo esquisito ao extremo o cara tinha uma coragem sobrenatural. Nem todo mundo teria peito pra gravar algo tão terrivelmente medonho como "Cowboy fora da lei" enquanto o país se deliciava ouvindo "Cecília" na voz do Chico (sim, eu sou louca pelo Chico e engrosso o coro das lunáticas que acham que ele é perfeito. Pronto, falei).
Além da sua incrível capacidade musical non sense ainda tem o visual. Pessoas que me leêm alguém já viu alguém mais brega que o Raul??? (sei o que o Elvis é um competidor à altura, but...)
Fora esse emaranhado de estranhezas ainda tem a aura mística e, na minha opinião, desrespeitosa que envolve a imagem dessa criatura. Sem falar no alcoolismo, nos excessos...
Aí me pergunto: Como alguém tão fora do normal conseguiu virar esse mito que é hoje?
E cheguei a algumas conclusões:
1. O ideal de sociedade alternativa era bem bonito, tem um apelo midíatico super forte (na época que surgiu ainda era bem mais), dá um tom de rebeldia às gerações sem grandes causas e alimenta esse ar místico que envolve o personagem Raul Seixas;
2. Ele era um camaleão e mudou de visual e estilo musical conforme a sociedade mudava. Tenho medo dos fankeiros descobrirem essa jogada de marketing.=/
3. Foi o primeiro a cultuar e a mostrar (ou impor) o lado bom da loucura. Embora eu ache que o Tom Zé faça isso bem melhor.
4. O cara soube morrer. Gente, um diabético não tomar insulina e encher a cara é um jeito bem poético de dizer que cansou da vida e quer um descanso.
5. Decididamente o maior estímulo a todos os cantores de karaokê do mundo. Fazer sucesso com aquela voz é notável.
6. Era baiano. Bem difícil não gostar de um baiano. (Drica, ache-se. Essa foi pra ti.)

Depois de enxergar tantas "qualidades" finalmente consegui escutar uma música dele por inteiro. Nem foi tão difícil como imaginei, mas não sei se farei isso novamente.



Música legal. -.-

*Post dedicado ao Deivi. Maior fã de Raul que conheço.*

quarta-feira, 19 de agosto de 2009





Eu sei que vai passar... poucas coisas são perenes e eu sei que você não é uma.
Desde o princípio se mostrou estranho demais ao que me é habitual e isso é imperdoável pra quem pretende ser o dono dos meus dias.
Abusei do direito de baixar a guarda, eu sei. Mas você nunca me pareceu oferecer perigo algum além do vício instântaneo da tua presença. Baixei a guarda pq precisava que você entrasse na minha vida e mudasse um monte de coisas chatas e regulares demais. E você mudou.
Mudou tudo o que foi permitido e invadiu áreas restritas por gigantescos outdoors que gritavam: Cuidado! Por aí não! Atenção pra curva logo adiante!
Você ignorou todos os avisos e eu amei isso.
Amei como te amo.
Amei como amo cada lembrança que ficará pra sempre.
E quando passar, quando pensar em você não doer mais, ainda vou amar a carga de intensidade que veio junto contigo.
Quando passar ainda vou saber que ser tua é gostoso demais e sempre vou fechar os olhos ao lembrar disso.
Quando meu afeto mudar de lugar ainda vai existir as comparações, ainda vou ficar triste quando perceber que ninguém mais sabe ler meus pensamentos como você.
E quando finalmente tiver esquecido quase tudo ainda vai existir o mel pra lembrar que você foi a parte mais doce de toda uma vida. Tão doce que seria pedir demais que ficasse pra sempre. Tão doce que a eternidade estragaria a magia. Tão doce que, pra não estragar nada, te deixo em paz.



segunda-feira, 10 de agosto de 2009

A Bailarina e o Astronauta


Eu sou uma bailarina e cheguei aqui sozinha.
Não pergunte como eu vim, porque já não sei de mim.
Do meu circo eu fui embora, sei que minha família chora.
Não podia desistir, se um dia, como um sonho ele apareceu pra mim.
Tão brilhante como um lindo avião.
Chamuscando fogo e cinzas pelo chão.
De repente como um susto, num arbusto logo em frente, acnteceu uma explosão, afastando a minha gente.
Mas eu não quis ir embora, não podia ir embora.
Como se nascesse ali, um amor absoluto pelo homem que eu vi.
Poderia lhe entregar meu coração. Alma, vida e até minha atenção.
Mas vieram as sirenes e homens falando estranho.
Carregaram meu presente, como se ele fosse um santo.
Dirigiam um carro branco e num segundo foram embora.
Desse dia até agora, não sei como, não pergunte, procuro por todo canto.
Astronauta, diz pra mim cadê você, bailarina não consegue mais viver.

Milágrimas (Alice Ruiz)



Em caso de dor, ponha gelo, mude o corte de cabelo
mude como o modelo
vá ao cinema, dê um sorriso, ainda que amarelo
esqueça seu cotovelo
se amargo for já ter sido, troque já esse vestido
troque o padrão do tecido
saia do sério, deixe os critérios, siga todos os sentidos
faça fazer sentido
a cada mil lágrimas sai um milagre
caso de tristeza, vire a mesa, coma só a sobremesa
coma somente a cereja
jogue para cima, faça cena, cante as rimas de um poema
sofra apenas, viva apenas
sendo só fissura, ou loucura, quem sabe casando cura
ninguém sabe o que procura
faça uma novena, reze um terço, caia fora do contexto
invente seu endereço
a cada milágrimas sai um milagre
mas se, apesar de banal,
chorar for inevitável
sinta o gosto do sal, do sal, do sal
sinta o gosto do sal
gota a gota, uma a uma
duas, três, dez, cem, mil lágrimas
sinta o milagre
a cada mil lágrimas sai um milagre
a cada milágrimas

FEEDJIT Live Traffic Feed